O desafio dos nossos dias...

29
Dez 11

 

"Gente que se senta no sofá de forma mais pausada, com uma rabanada que a amiga lhe deu, à espera que a televisão dê a meia noite para ir até ao vale dos lençóis. Há gente assim, que não tem outra gente com quem partilhar os sons, os ruídos, as algazarras, os afazeres, os talheres, as prendas do Natal. Gente que uns dias antes estivera no jantar tal com o grupo dos colegas. Mas que agora está só. Não tem mais ninguém. Não tem o amigo ou a amiga colorida porque estes estão com a família. Não tem o filho ou a filha porque este ano pertence ao outro pai. Não tem os amigos, porque nem sempre há amigos para estas ocasiões do Natal. Ou então são aqueles que a idade não deixa que o Natal seja tão Natal. Porque os filhos estão longe. O marido ou a esposa já morreram. O lar está fechado ou vai-se para a cama cedo. Passam o Natal com a televisão. Nada mal para quem há uns anos nem televisão tinha. Mas eu acho que estes tipos de Natal são muito dos Natais modernos. Fazem parte da vida moderna, para quem uma reunião é apenas uma reunião e não uma união. Fazem parte da vida que nos dá tudo, mas nos tira grande parte do amor. Fazem parte da vida que está cheia, mas afinal está mais vazia que nunca. Pode ser que, com esta crise, as pessoas comecem a buscar o essencial do Natal, aquele essencial que não é só uma celebração, mas uma forma de vida. E digo àqueles para quem o Natal é só uma data que o Menino Deus também nasceu para eles. Eu até diria mais. Diria que o Menino Deus nasceu sobretudo para eles."
www.eupadre.blogspot.com
 



publicado por emcontratempo às 14:20
tags:

 
 

Quando o Menino Jesus nasceu, todas as pessoas e animais e até as
árvores sentiram uma imensa alegria.
Do lado de fora do estábulo onde o Menino dormia, estavam três árvores: uma palmeira, uma oliveira, e um pinheirinho.
Todos os dias as pessoas passavam e deixavam presentes ao Menino.
- Nós também lhe devíamos dar prendas! – disseram as árvores.
- Eu vou dar-lhe a minha folha mais larga - disse a palmeira - quando vier o tempo do calor ele pode abanar-se com ela e sentir-se mais fresco.
Então disse a oliveira:

- E eu vou dar-lhe óleo. Perfumados óleos poderão ser feitos a partir do
meu sangue.
- Mas que lhe poderei dar eu?
- Perguntou ansioso o pequeno pinheiro.
- Tu? Os teus ramos são agudos e picam - disseram as outras duas árvores .-Tu não tens nada para lhe dar!
O pequeno pinheiro estava triste. Pensou muito, muito, em qualquer coisa
que pudesse oferecer ao Menino que dormia, qualquer coisa de que o
Menino pudesse gostar.
Mas não tinha nada para lhe dar.
Então um anjo, que tinha ouvido a conversa, sentiu pena da arvorezinha que não tinha nada para dar ao Menino.
As estrelas estavam a brilhar no céu. Um anjo, muito de mansinho, trouxe-as uma a uma, cá para baixo, desde a mais pequenina à mais brilhante e colocou - as nos ramos pontiagudos do pinheiro. Dentro do estábulo, o Menino acordou., olhou para as três árvores do lago de lá da gruta, contra a escuridão do céu...De repente, as folhas escuras do pinheiro brilharam, resplandecentes,
porque nelas, as estrelas descansavam como se fossem as próprias folhas.
Que lindo estava o pequeno pinheiro, que não tinha nada a oferecer ao
Menino!...
E o Menino Jesus levantou as mãozinhas, tal como fazem os bebés, e sorriu para as estrelas e para aquela árvore que lhe iluminara a escuridão da noite.
E desde então o pinheiro ficou a ser, para todo o sempre, “Árvore de NATAL"

(História tradicional Inglesa)
da net 
publicado por emcontratempo às 14:07

28
Dez 11

 

 

Adeus tio Mário,

até sempre.

Por cá ficam as saudades,

ficam as lembranças

que recordamos com carinho.

Descansa em Paz.

 

(partiste para a casa do Pai a 27.12.2011)

publicado por emcontratempo às 17:47

 

 

"Mulheres atarefadas
Tratam do bacalhau,
Do peru, das rabanadas.

- Não esqueças o colorau,
O azeite e o bolo-rei!

- Está bem, eu sei!

- E as garrafas de vinho?

- Já vão a caminho!

- Oh mãe, estou pr'a ver
Que prendas vou ter.
Que prendas terei?

- Não sei, não sei...

Num qualquer lado,
Esquecido, abandonado,
O Deus-Menino
Murmura baixinho:

- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família
À volta da mesa.
Não há sinal da cruz,
Nem oração ou reza.
Tilintam copos e talheres.
Crianças, homens e mulheres
Em eufórico ambiente.
Lá fora tão frio,
Cá dentro tão quente!

Algures esquecido,
Ouve-se Jesus dorido:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,
Admiram-se as prendas,
Aumentam os barulhos
Com mais oferendas.
Amontoam-se sacos e papeis
Sem regras nem leis.


E Cristo Menino
A fazer beicinho:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?"

 

Poema tirado da net

 

 

publicado por emcontratempo às 17:43

27
Dez 11

 

O trabalho nasce espontâneamente da alegria, como um fruto que nasce espontâneamente duma flor.

Guerra Junqueiro

publicado por emcontratempo às 16:05

 

 

Jesus é o doente, a ser curado

Jesus é o Solitário, a ser amado

Jesus é o Indesejado, a ser acolhido

Jesus é o Leproso, a ser curado

Jesus é o Pedinte, a ser recompensado

Jesus é o Bêbado, a quem ouvir

Jesus é o Atrasado mental, a quem proteger

Jesus é a Criança abandonada, a quem abraçar

Jesus é o Cego, a quem conduzir

Jesus é o Mudo, por quem falar

Jesus é o Aleijado, com quem caminhar

Jesus é o Drogado, de quem ser amigo

Jesus é a Prostituta, a quem proteger

Jesus é o preso, a quem visitar

Jesus é o Só, a quem fazer companhia

 

in calendário 2010 da LIAM (Missões)

publicado por emcontratempo às 15:24
tags:

 

"Dezembro quer lenha no lar e o pichel a andar."

 

publicado por emcontratempo às 15:21

20
Dez 11

 

 

 

Boas Festas e Feliz Ano Novo

 

a todos os que por aqui passarem!

 

publicado por emcontratempo às 18:29

14
Dez 11

 

 

Flor de suave perfume,

Para toda a lusa gente;

Entre nós em cada crente

Tens esmerado cultor.

És a obra mais sublime

Que saiu das mãos de Deus!

Nem na terra nem nos céus,

Há criatura maior!

A tua glória é valer-nos,

Não tens maior alegria:

Ninguém chama por Maria

Que não alcance favor.

És a nossa Padroeira,

Não largues o padroado

Do rebanho confiado

Ao teu poder protector.

 

(in almanaque das missões)

 

Sabes, hoje, Mãe querida,

a ti confio um segredo,

e tu sabes bem, quanto precisa

meu ser desse teu enlevo.

 

Acolhe meu humilde pedido,

eu sei que tu sempre me ouves,

das poucas vezes que peço...

 

***

 

"A devoção a Maria Imaculada é muito anterior à sua proclamação como verdade de Fé pelo Papa Pio IX, a 8 de Dezembro de 1854.

O Dogma da Imaculada Conceição, ensina-nos que Nossa senhora foi concebida sem qualquer mancha do pecado original, em vista do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo."

publicado por emcontratempo às 13:18

09
Dez 11

 

 

(Apontamentos de quando dava catequese ao 5º. Ano)

 

Acolhimento

 

Experiência humana

 

Já chegámos ao Natal?

Não.

 

Qual é o tempo litúrgico que estamos a viver?

Advento que é a espera da vinda do Senhor.

 

É a preparação para a celebração da Sua vinda - o Natal - para isso temos as novenas do Menino Jesus.

 

Falar do que é que eles veêm nas ruas e porquê?

É Natal - Festa da alegria, fraternidade, Paz.

Festa da família, das luzes, dos presentes, da música, dos convívios, da consoada.

 

Reconhecer que em Jesus Cristo, Deus vem ao encontro da Humanidade.

 

Pelo nascimento de Jesus:

 

realizou-se a grande promessa de Deus, o Amor pleno de Deus com o Seu Povo, pelo envio de Seu Filho, Jesus - "a Boa Nova"

 

Emanuel que quer dizer Deus Connosco.

 

Mistério da Encarnação (encontro de Deus com os homens)

 

Alegrar-se com o nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus.

 

Festa porque se concretizou a longa esperança do Povo de Deus desde Abraão até Maria e com ela, o Povo de Deus exulta hoje e sempre de grande alegria.

 

No Antigo testamento o Povo de Israel proclamava que nenhum povo tinha tão perto de si os seus deuses, como eles.

 

Que poderemos nós  dizer então da vinda e do nascimento de Jesus.

 

Em Jesus, Deus não só está perto, está mesmo connosco, está no meio de nós, na nossa vida.

 

Que veio à Humanidade para que toda ela seja uma família de irmãos.

 

Leitura

 

"O povo que andava nas trevas viu uma grande luz ... um menino nasceu para nós, um filho nos foi dado."

                        Is. 9, 2 a 5

 

Eles lerem sobre a origem do presépio

 

**********************

 

O nosso Natal

 

É bom que haja música, luz, presentes, encontro de família, árvore de Natal, presépio.

 

Tudo isto porque Jesus Cristo nasceu no meio de nós e nos convida a vivermos sempre na alegria, na fraternidade,

porque Jesus Cristo é Deus Connosco!

 

E nós é que devemos torná-Lo presente com o nosso exemplo de vida.

 

Anunciar esta alegria aos outros e com ela o Povo de Deus, o novo povo de Deus, exulta hoje e sempre de grande alegria.

 

Sobretudo com a nossa vivência da fé, neste mistério que fundamenta a Cristianismo e revolucionou a história da Humanidade.

 

É festa porque sobretudo se realizou a grade promessa de Deus, a plenitude da Aliança do Amor de Deus com o Seu Povo desde Abraão até Maria e com ela o Povo de Deus, o novo Povo de Deus, exulta hoje e sempre de grande alegria.

 

Boas Festas em Jesus Menino!!!

publicado por emcontratempo às 14:13

Dezembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
21
22
23
24

25
26
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
contador
Contador de visitas
visitantes
blogs SAPO