O desafio dos nossos dias...

15
Jan 10

 

 

Quantas vezes, fingimos estar tudo bem.

Quantas vezes não querendo inquietar nos calamos.

Ficamos sofrendo por dentro.

Ficamos encobrindo amarguras.

Para não sermos sobrecarga.

Quantas vezes, acompanhados, estamos sós...

... tão sós.

Quantas vezes gerimos o "pouco" que temos.

Tantas vezes , muitas vezes, quase sempre...

enfim...

 

"Casinhas  brancas

Casinhas brancas por fora,

por dentro - tristes, escuras. 

Ai de quem ri de quem canta,

para encobrir amarguras...

 

Verdes heras nas paredes,

na arca - míngua de pão.

E não parece, não vedes?

- Quem lá mora é pobrezinho

mas tem sua presunção...

 

Rubros cravos à janela,

no lar, - nem cibo de lenha.

Olhai esta, vinde vê-la

- que sou eu cantando e rindo

como quem mágoas não tenha...

 

... casinhas brancas por fora!

Nunca o mundo saberá

quando nalgumas se chora

e, como nelas não entra,

o luto que em muitas há..."

 

tirado dum almanaque antigo - (do livro inédito "Vinte anos"=

Pimentel Caxide)

 

publicado por emcontratempo às 16:23

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
13
16

23

30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO