O desafio dos nossos dias...

25
Abr 10

Capitães de Abril

 

(imagem da net) 

 

GRÂNDOLA VILA MORENA

 

 

Zeca Afonso

 

 

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

 

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

 

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

 

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

 

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade.

 

Liberdade
Sérgio Godinho

 

 

Canções de Sérgio Godinho
Assírio e Alvim

Viemos com o peso do passado e da semente
esperar tantos anos torna tudo mais urgente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente

Vivemos tantos anos a falar pela calada
só se pode querer tudo quanto não se teve nada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada

Só há liberdade a sério quando houver
a paz o pão
habitação
saúde educação
só há liberdade a sério quando houver
liberdade de mudar e decidir
quando pertencer ao povo o que o povo produzir.

 

e tantas outras canções, ferrolhadas em gavetas na prisão das vozes, sofridas e caladas...

 

publicado por emcontratempo às 23:26

Há canções produzidas no murmuro da respiração
Num suspiro aprisionado que merece toda a reflexão.
Sentidas palavras num aroma profundo da verdade:

“Só há liberdade a sério quando houver”
A paz o pão saúde e educação.
Só há liberdade a sério quando houver
Liberdade de mudar e de decidir
“Quando pertencer ao povo o que o povo produzir”.

Excelente partilha!
Beijinhos.
perfume da esperança a 26 de Abril de 2010 às 16:16

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
17

18
19
24



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO