O desafio dos nossos dias...

19
Ago 09

 

 

As palavras chegam dos currais,

morenos e luzidios ao sol.

Bafejados beijos aquecem minha alma,

nesta tarde cinzenta.

Envolvo-me no burburinho

daqueles que passam.

Não, não quero!

Arrepia-me esse stress.

Parem!!!

Olhem estas parreiras

prenhas de cachos!

Inalem este perfume!

Saboreiem estes sensuais gostos!

Além,

olhem,

lá a meio canal,

de asas abertas, planando,

como que a abraçar as ilhas,

uma gaivota!

Embriagada de sol,

passeia-se por aí.

Que maravilhas!

Aqui,

mesmo ao lado,

os incensos e faias,

frondosos e pacientes,

esperam uma lufada de tarde,

fresca e amena.

Ali,

dos cachos dos silvados,

há pouco floridos,

pendem negros e suculentos frutos,

as amoras, luzentes

sob o olhar do Verão ensolarado.

Enternecidos,

estremecem os ramos soltos,

e envoltos na brisa de Agosto.

E eu ...

eu, me quedo,

ante aquele beijo,

entrelaçada em teus braços,

me protejo.

E ficamos.

Acenando à tarde,

e esperando a lua,

adormecemos em sonhos!

 

 

publicado por emcontratempo às 13:00

Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16
17
18
20
21
22

23
26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO