O desafio dos nossos dias...

28
Jul 11

 

 

"Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo...

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, porque eu sou do tamanho do que vejo e não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave, escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu..."

Alberto Caeiro - pseudónimo de Fernando Pessoa

publicado por emcontratempo às 15:04

 

"A pena é coxa, mas chega."

publicado por emcontratempo às 15:01

 

 

 

da net

 

 

Baleia, baleia,

grita o vigia

dos lados d'aldeia

grita o marinheiro,

junto à maré cheia,

baleia, baleia,

baleia, baleia.

 

José Duarte

 

 

  da net

 

Baleia, baleia,

que falta fizeste.

Pela lua Cheia,

o pão tu nos deste.

 

És lobo do mar

morrendo em agonia,

quem te ia matar,

por vezes morria.

 

(desconheço o(a) autor(a)

publicado por emcontratempo às 14:57

"Deus pede estrita conta de meu tempo
E eu vou, do meu tempo dar-lhe conta;
Mas, como dar, sem tempo, tanta conta,
Eu que gastei, sem conta, tanto tempo ?

 

 

Para dar minha conta feita a tempo,
O tempo me foi dado e não fiz conta;
Não quis, sobrando tempo, fazer conta,
Hoje quero acertar conta e não há tempo...

 

 

Oh! vós que tendes tempo sem ter conta,
Não gasteis vosso tempo em passatempo;
Cuidai, enquanto é tempo, em vossa conta.

 

 

Pois aqueles que, sem conta, gastam tempo,
Quando o tempo chegar de prestar conta,
Chorarão, como eu, o não ter tempo. "

 

 Frei Antônio das Chagas
(1631/1682)

publicado por emcontratempo às 14:56

 

www.magdala.blogs.sapo.pt

 

publicado por emcontratempo às 10:21

Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
16

17
19
20
21
22

24
30



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO