O desafio dos nossos dias...

03
Set 11

 

 

 

 

Cantor, poeta e compositor, faz hoje 81anos

Fernando Machado Soares nasceu em S. Roque do Pico a 3 de Setembro de 1930

Licenciou-se nos finais da década de 50, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.


Ainda hoje continua em intensa actividade artística.

Começou a cantar em Coimbra, nos anos 50, integrado num histórico grupo de fados e guitarradas.

Faziam parte desse grupo, entre outros, Luís Goes, José Afonso, Fernando Rolim e Florêncio de Carvalho, bem como António Brojo, António Portugal (guitarras), Aurélio Reis e Mário de Castro (violas).

Machado Soares colaborou intensamente com os organismos académicos da altura, tendo-se deslocado ao Brasil com o Orfeon em 1954 e feito o périplo de África com a Tuna, em 1956. Em 1961, já licenciado em Direito, acompanhou o Orfeon aos Estados Unidos da América. Em 1957, com António Portugal e Jorge Godinho (guitarras) e Manuel Pepe e Levy Baptista (violas), Fernando Machado Soares prepara a gravação de um disco que ficará para a história como um dos momentos mais altos do fado de Coimbra e onde toda a sua criatividade renovadora ficou bem patente: o LP do “Coimbra Quintet”, gravado para a Philips, em Madrid, num estúdio de excelentes condições técnico-acústicas.

Apesar da sua importante colaboração na concepção dos arranjos e de algumas composições suas figurarem no disco, acabou por ser Luís Goes, e não Machado Soares, a registar a sua voz no vinil: pura e simplesmente, o cantor decidiu não se deslocar à gravação e, à última hora, foi substituído por Luís Goes, o qual, rápida e talentosamente, recebeu o testemunho de Machado Soares e realizou uma brilhante performance em estúdio.

Machado Soares deu um contributo importante na criação das condições da transição do fado clássico para as baladas e para as trovas, que as vozes de José Afonso e Adriano Correia de Oliveira vieram a imortalizar: sem o contributo de Machado Soares, seguramente que teria sido outra, diferente e menos rica, a trajectória do Zeca e do Adriano (o qual, aliás, gravou muitas composições de Machado Soares).

Durante os seus tempos de Coimbra não era fácil conseguir ouvir cantar Machado Soares: ele só cantava quando lhe apetecia. E não lhe apetecia muitas vezes... Curiosamente, foi depois de deixar Coimbra e iniciar a sua carreira de magistrado (em comarcas como Guimarães, Santarém, Almada e outras) que Machado Soares, aos fins de semana, rumava à Lusa Atenas para cantar e conviver, acolhendo-se à “sua” República Baco, onde vivera durante os seus tempos de estudante e onde, nessa altura, residiam José Niza (que o acompanhava à guitarra e à viola), Fernando Gomes Alves (outro cantor de fados), Manuel Pepe (já médico, mas ainda residente na República e viola do grupo de António Portugal) e ainda Francisco Bandeira Mateus, que fez versos para alguns dos fados de Machado Soares

, com a transferência para o Tribunal de Almada - já como juiz corregedor - a carreira de Machado Soares conhece imprevistos desenvolvimentos. Nas noites de Lisboa começa a ser frequentador assíduo de casas de fado, acabando por se “fixar” no “Senhor Vinho”, da fadista Maria da Fé, onde começou a ser acompanhado pelo grande guitarrista Fontes Rocha, pelos violas da casa e, muitas vezes, por Durval Moreirinhas.

No “Senhor Vinho”, Machado Soares actuava integrado no elenco dos artistas residentes, cantando sempre canções suas ou do repertório de Coimbra, e deliciando os frequentadores com a expressão da sua voz fortíssima e as “nuances” pianíssimas que imprimia às suas interpretações. Aliás, o facto de ser juiz de dia e cantor à noite, não caiu bem no Ministério da Justiça, que considerava lesivas da dignidade da magistratura as suas actuações públicas. Machado Soares em nada alterou este seu “desdobramento de personalidade”, continua a cantar onde lhe apetece e, entretanto, chegou ao topo da sua carreira de magistrado, sendo actualmente Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça.

De toda a sua riquíssima obra destaca-se um tema que será um dos mais conhecidos e cantados da música popular portuguesa: a Balada do 6º ano médico “Coimbra tem mais encanto / na hora da despedida”. Para Machado Soares - e já lá vão mais de 35 anos passados sobre a despedida - Coimbra continua a ter encantos infinitos e a servir de motivação para uma das obras mais importantes da música portuguesa da segunda metade do século.

 

publicado por emcontratempo às 07:37

 

"Em Setembro planta, colhe e cava que é mês para tudo."

publicado por emcontratempo às 07:33

 

"A alma tem ilusões da mesma maneira que uma ave tem asas; é isto mesmo que a sustenta."

Victor Hugo

publicado por emcontratempo às 07:31

 

 

 

Como fazer: tapete para banheiro

 

Essa eu tirei do site da Michelle Kauffmann, uma ferrenha ecologista, adepta de se reciclar as coisas e poupar o bolso e o planeta: um tapete para banheiro, feito com tiras de toalhas de banho velhas.Mas o mesmo sistema pode ser utilizado para se fazer tapetes maiores, com outros materiais: retalhos e sobras de confecção,camisetas de malha velhas que iam virar pano de chão ou retalhos de tecidos.Eu acho que no caso de tecidos, que seja um tecido molinho, que não solte fios, como o jérsey por exemplo.Se for sobras de confecção,pode ser lycra,malha etc....
Um bom projeto para se fazer no fim de semana:

Você vai precisar de: toalhas velhas, malha, retalhos de tecido.Pode ser na mesma cor, pode ser de várias cores, sua imaginação é quem manda.Voce pode inclusive desenhar algo na tela, e depois montar esse desenho com várias cores de retalhos.

Tela para tapeçaria: você encontra em lojas para artesanato, lojas que vendem lã e linhas, bazares.Pegue uma com uma trama nem muito pequena e nem muito grande, acredito que com os "quadradinhos " da tela com 1 cm já dá bem.Corte a tela do tamanho que você quer pro tapete.Essas telas geralmente vem com 1,50 de largura pelo comprimento que você quiser, mas existem com largura de 2 e 2,5 metros também.

Corte as tolhas ou os retalhos em tirinhas de 1cm de largura por uns 10 cm de comprimento.Esse comprimento vai definir a altura do tapete, quanto maior, mais "fofo".Só não exagere e monte um tapete "lhasa apso", por favor rsrsr.

Depois que tudo foi cortado , vá amarrando um por um, dando o nó bem no meio, sobrando o mesmo tamanho de tira dos lados do nó.

E pronto!Como eu disse, vc pode fazer um desenho e usar outras cores: formas geométricas, listras, círculos (até um tapete circular: luxo!), flores, um padrão de estampa animal...sua imaginação e as cores de retalhos é que comandam.

fonte:. http://home-boxer.blogspot.com/

publicado por emcontratempo às 07:30

Todos me querem

Composição: Popular

Já passei a roupa a ferro
já passei o meu vestido
Amanhã vou-me casar
e o Manel é meu marido

Todos me querem eu quero algum
quero o meu amor
não quero mais nenhum

Todos me querem eu quero alguém
quero o meu amor
não quero mais ninguém

O Manel é meu marido
O Manel é quem me adora
O Manel é que me leva
da minha casa p'ra fora

Da minha casa p'ra fora
da minha casa p'ra dentro
O Manel é quem me leva
no dia do casamento

publicado por emcontratempo às 07:28

 

"Quando você carrega uma Bíblia, Satanás fica com dor de cabeça...

Quando você abre a Bíblia, ele desmorona...

Quando ele vê você lendo a Bíblia, ele desmaia...

Quando ele vê você vivendo o que você lê, ele foge...

 E quando você estiver a ponto de repassar esta mensagem...

ele tentará desencorajar você...

Eu acabei de vencer estes obstáculos, pela Graça de Deus!

Alguém mais?

 

Um teste :

Será que Deus está em primeiro lugar em sua vida ?

Se estiver pare tudo e envie esta mensagem para todos ..."

www.partilhaqui.blogspot.com

publicado por emcontratempo às 07:14

 :smiley-dubitatif:

"Deus é sempre grande, no grande e no pequeno."

Helder

publicado por emcontratempo às 07:09

 

"Aprende a ser filho para saberes ser pai."


Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
17

18
22
24

25


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO