O desafio dos nossos dias...

09
Out 12

 

"Meia vida é a candeia, e o vinho a outra meia".

sabedoria popular Outubro

publicado por emcontratempo às 17:58

 

Oh Santíssima Virgem Maria

Mãe de Deus e dos pecadores,

a vós que estais nos céus

na presença de Nosso Senhor Jesus Cristo,

humildemente vos oferecemos este terço

em nosso nome

e em nome de todos os fiéis cristãos

e pelas almas do purgatório

especialmente as dos nossos parentes.

E roguemos também

por todas as necessidades espirituais

e temporais da Santa Igreja

e por tudo o que os santos Pontífices

nos mandam encomendar.

Apresentai Senhora ao Vosso Filho Santíssimo

o grande desejo de não O ofender mais nesta vida

para gozar da outra, para sempre

Amen.

publicado por emcontratempo às 16:38
tags:

 

Parabéns amiga!

Maria Amélia,

que aí longe,

na América, distante,

te sintas feliz,junto dos teus.

Nós cá só te desejamos

tudo de bom

e que esta data se repita

por muitos anos.

 

publicado por emcontratempo às 16:33

 

 

" Os Pais, na educação cristã dos filhos cultivem e protejam nos seus corações a vocação religiosa."

P.C. 24 - Vat. II

publicado por emcontratempo às 16:21

 

"Agora e Sempre"

 

Vai-se, a pouco, esgarçando o nevoeiro,

que adensava a maldade sobre a terra:

- Crimes, traições, sanguinolentas guerras,

destroços fumegantes de braseiro.

 

Varrem-se campos, onde o horror cimeiro

desvendou a vitória - quanto encerra

satânico raivor, que nada emperra

no humano coração, sem Deus luzeiro.

 

Vingança? - Nada vale. - O novo crime,

o pranto enxugará da nova dor?

Antes perdão que salva e que redime.

 

Nova lei, Mundo Novo, anda o Inferno

gritando às multidões. E, Vós Senhor,

do Sinai repetis: - Eu sou o Eterno

 

Ilha da Madeira, 1945

 

Padre António da Silva Figueira

(mais um poema tirado de um almanaque já muito velhinho que me deram)

publicado por emcontratempo às 12:27

 

 

Quando fora do teu leito,

me sentindo estrangeira,

como é bom, como me deleito,

como arde o coração em meu peito,

ouvir entre os transeuntes, em jeito

de voz soando a conhecida,

oh como é bom, Pátria amiga.

 

Ao seguirmos nas ruas, vielas, prenhas

de gente balbuciando, se solta um grito,

um eih, olá, não me conheces, sou do Pico!

E, aí o coração palpita, em alegria tamanha,

ao soar a linguagem, que o ouvido não estranha.

 

Oh saudosa terra amada, pequeno torrão natal,

mesmo longe, estás gravada, guardada,

em pequenino lugar, para sempre acalentada,

no peito se me bate o coração,

minha doce terra amada, cantinho de Portugal.

peregrina

publicado por emcontratempo às 09:42

 

 

 

da net

O Danúbio é o maior rio da Europa, depois do Volga, e a primeira via de comunicação natural entre a Europa Central e o Oriente.

 

publicado por emcontratempo às 09:41

 

Nenhum prazer há na vida

de maior valor ou brilho,

que tenha a expressão querida

do riso do nosso filho...

 

Não dês a ninguém o gosto

de ver pela tua face.

na tristeza do teu rosto,

o que em tua alma se passe...

 

Guarda escondido contigo

o amargor que te acabrunha.

não deixes o teu inimigo

do teu mal ser testemunha...

 

Conquista a todos na terra,

com a alegria do teu riso.

Faz o bem. Nele se encerra

a chave do paraíso.

 

Nossa vida tem diversos

labirintos complicados:

Tem seus sentidos inversos

e mil caminhos cruzados.

 

Um paradoxo qualquer,

sempre da vida nos vem:

- Quando a gente tem, não quer...

- Quando a gente quer, não tem...

 

Deixa a Parca desfiar

a trama do tempo obscuro...

não procures penetrar

nos segredos do futuro...

 

Tudo podes conseguir

com perfeita honestidade,

se souberes persistir,

tendo força de vontade...

 

É caprichoso o Destino,

caprichoso por demais:

A quem quer muito, dá menos,

A quem quer menos, dá mais...

 

É lindo o fim do poente,

Quando no estendal da areia,

depois do quarto crescente

pontifica a lua cheia...

 

Gosto de ficar sózinho,

solitário como um monge,

para ouvir, devagarinho,

um som de música ao longe...

 

Cai a tarde. No ar flutua

doce paz de um céu azul...

e à noite cintila a Lua,

brilha o Cruzeiro do Sul...

 

Silêncio. Sómente o vento,

lá fora em violento açoite,

perturba o recolhimento,

quebra a paz da escura noite...

 

As crianças são anjinhos

em cuja graça se encerra

a mensagem de carinhos

por Deus enviada à Terra...

 

Quem almeja alguma coisa

ter-se-á bem aconselhado,

se o que quer com força ousa,

mas muito, muito calado...

 

Verás que na vida inteira,

só nos vale a paz serena;

no mais tudo é canseira,

tudo o mais, não vale a pena...

 

Petrarca do Maranhão (bras.)

publicado por emcontratempo às 09:41
tags: ,

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11

14
16
17
19
20

21
23
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO