O desafio dos nossos dias...

29
Mar 13

 

Hoje,

hoje é um dia que agradeço ao Senhor...

por ter vivido mais um ano,

pelas prendas, flores, mensagens...

pelo carinho especial com que se lembram de mim...

pela amabilidade e atenção que me dão...

 

Realmente, Senhor, quero agradecer-Te...

pela profundidade deste dia,

em que se comemora a Tua Paixão e Morte...

... também por mim, Senhor!

Também pelas minhas falhas, culpas e fracassos...

 

Quero pedir-Te,

 Senhor!

afasta de mim

 ...o orgulho,

... a inveja,

... a maldade,

... a difamação,

e ele há tanta coisa por aí, Senhor!

e diz-se tanto, Senhor!

e afirma-se tanto, sobre o nada, Senhor!

Afasta Senhor de mim, essas enfermidades

... e livra-me de todo o mal.

 

Hoje,

hoje é um dia que quero agradecer-Te também...

... os meus avós

... os meus pais

... o meu marido e as minhas filhas

... demais familiares

... amigos

... as alegrias

... as dificuldades

... a coragem

... as experiências vividas

... os obstáculos

... a saúde

... os meus objetivos

... a minha sinceridade (embora pisada)

... a força interior que me impele

... os meus sofrimentos e desgostos

... o meu sorriso ou

... a minha gargalhada sincera

... a minha humildade (compreendida como fraqueza)

mas não,

ela é a minha arma, a minha força!

Só tu sabes, Senhor!

... o meu silêncio às vezes mal interpretado 

e...

 

ajuda-me a ter cada vez mais a capacidade de

 

caminhar ao encontro da Meta que és Tu!

 

... dando o melhor de mim, do meu esforço

 

... continuando a sorrir sempre

 

... agindo acertadamente

 

... caminhando, peregrinando

 

até quando quiseres, Senhor!!!

by peregrina

publicado por emcontratempo às 14:05

21
Mar 13

 

 

Vem depressa oh Primavera,

que estamos à tua espera!

Vejo dispostos os teares,

e armados os bastidores,

que são para tu bordares,

a oiro do sol e a cores,

charnecas, várzeas, pomares,

árvores novas e velhas,

de folhas verdes e flores,

que dão o mel às abelhas

e a alegria aos lavradores...

Vem depressa oh Primavera,

que estamos à tua espera!

 

Afonso Lopes Vieira

 

publicado por emcontratempo às 18:26

 

 

 

"As grandes desgraças atraem os respeitos e admiração quase tanto como as grandes virtudes".

Genlis

publicado por emcontratempo às 17:56

17
Mar 13

 

Evangelho da condenação da mulher adúltera,

 

"ouvi dizer... ... ..."

 

"Caaala-te!"


 

da homilia de hoje na nossa Igreja Matriz.


"Quem não tem pecados atire a primeira pedra."


Saborosa Palavra de Deus para as "crises" de hoje...

 

 

publicado por emcontratempo às 13:41

14
Mar 13

 

 

da net

 

Jorge Mario Bergoglio, que adota o inédito nome papal de Francisco, é pioneiro a vários níveis: o primeiro Papa sul-americano da História da Igreja Católica é também o primeiro jesuíta a ocupar o trono de São Pedro.

O 266º Papa nasceu em Buenos Aires, a 17 de dezembro de 1936, descendente de uma família italiana. O pai, Mario, era empregado nos caminhos de ferro e a mãe, Regina Sívori, doméstica. Com 76 anos e três meses, é dois anos mais novo do que era Joseph Ratzinger em 2005. Mas é, ainda assim, um dos Papas mais idosos de sempre a assumir o cargo.

Estudou para técnico químico, mas mudou de rumo em 1958, com 21 anos, optando pelo sacerdócio. Entrou nesse ano para a Companhia de Jesus, como noviço. Depois de uma passagem pelo Chile, voltou a Buenos Aires para concluir os estudos em filosofia e teologia.

Foi ordenado padre em dezembro de 1969, nomeado bispo auxiliar de Buenos Aires em 1992, arcebispo da capital argentina em 1997 e cardeal em 2001. Em 2005, como cardeal eleitor, já participou no conclave que elegeu o seu antecessor, tendo sido o segundo mais votado, logo a seguir ao eleito Joseph Ratzinger.

Foi ainda antes dos 35 anos que enfrentou um delicado problema de saúde, com dificuldades respiratórias que o levaram a perder um pulmão. Restabeleceu-se plenamente dos problemas, graças a um austero regime de vida.

Ao longo desse percurso, Bergoglio teve várias experiências de ensino, sendo ainda reitor da faculdade de teologia e filosofia em São Miguel, numa altura em que vigorava na Argentina a ditadura militar. Não lhe foram conhecida intervenções políticas nesse periodo, que terminou em 1983. Já durante os motins provocados pela crise económica de 2001, relata o diário La Nación, interveio contra a brutalidade policial na repressão das manifestações de rua, apelando diretamente ao ministro do Interior.

A partir de 1986 viajou para a Alemanha, onde completou o doutoramento, antes de regressar à Argentina, onde se tornou diretor espiritual e confessor da Companhia de Jesus. Publicou vários livros relacionados com a fé, entre eles Meditações para religiosos (1982), Reflexões sobre a vida apostólica (1986) e Reflexões de Esperança (1992).

Tem uma página no Facebook, que não gere pessoalmente, e não dá entrevistas, pelo que a sua imagem mediática, discreta, resulta das declarações feitas em homilias ou outras intervenções públicas.

Assumiu no passado posições próximas das classes desfavorecidas, lamentando a sorte das «meninas que deixam as bonecas para entrar em tugúrios da prostituição, por terem sido roubadas, vendidas e traídas». Acerca da homossexualidade, já apelou publicamente ao respeito pelo indivíduo, mantendo no entanto uma posição intransigente quanto à legislação de casamentos entre pessoas do mesmo sexo, aprovada pela Argentina em 2010, o que lhe valeu algumas críticas da presidente Cristina Kirchner.

É um crítico sem reservas do aborto. «Nunca é uma solução», afirmou por diversas vezes, acrescentando: «não se pode limitar o valor supremo da vida nem o direito das crianças por nascer». O combate às drogas (que definiu como «um mercado da morte») e as críticas à classe política, que acusou por diversas vezes de «vaidade e falta de humildade», são outras características do novo Papa.

Até há pouco tempo, como mais alto responsável religioso de Buenos Aires fazia questão de utilizar os transportes públicos da capital argentina para contactar com a população e ocasionalmente continuava a ouvir confissões na catedral de Buenos Aires, como um simples sacerdote.

www.tvi24.iol.pt

 

Não há palavras, estamos de coração cheio:

 

1º. a sábia resignação do Santo Padre Bento XVI

e

2º. o aparecimento do Santo Padre Francisco

 

Cremos!

 

Temos  FÉ!

 

O Senhor nunca nos abandona!

 

Ele sempre guiou e guiará o Seu Povo até a Si!

publicado por emcontratempo às 14:11

13
Mar 13

 

Temos Papa!!!!!!!

 

Fumo branco no Vaticano: 'Habemus Papam'

 da net

 

 O sino da nossa Igreja repica de alegria!!!

 

Precisamente às 17:6 hora dos Açores

publicado por emcontratempo às 18:11
tags:

 

Senhor.... 

Fumo negro na manhã do segundo dia do Conclave

da net

tem piedade de nós

publicado por emcontratempo às 16:14

Desculpem...

 

"A idolatria que ajuda a curtir a vida

O Público online escreve o seguinte, caracterizando o que move os jovens para ver e ouvir o concerto do cantor do Canadá, Justin Bieber: «O Justin canta como ninguém. O Justin é lindo. O Justin é humilde. O Justin gosta de nós. O Justin é genuíno. O Justin é um exemplo. O Justin é diferente. O Justin é único. O Justin, o Justin, o Justin. “Vá lá, não é preciso explicar, é o Justin.” Nunca falaram com ele, e dificilmente terão essa oportunidade, mas sabem, ou acham que sabem, tudo sobre ele. Falam como se de um irmão, um amigo ou um namorado se tratasse, mesmo que “o Justin” nem os seus nomes saiba. Mas o que é que isso interessa? “É o Justin.” Sim, o Bieber. Motivo mais do que suficiente para acampar à porta do Pavilhão Atlântico, em Lisboa, e esperar pelo “melhor concerto do mundo”, que é já nesta segunda-feira». E há mais, «Poder-se-ia falar do frio, da chuva ou do vento. Do dinheiro que já gastaram para estarem ali ou dos dias que faltaram, ou vão faltar, à escola. Mas a verdade é que não há nada, mas mesmo nada, que arranque do Pavilhão Atlântico as dezenas de fãs que desde sábado de manhã estão acampadas à porta do recinto. A não ser, claro, que o Justin apareça num qualquer outro lugar».
No direto das redondezas do Pavilhão Atlântico, onde se vai realizar o concerto, um jovem dizia: «As músicas dele dizem-nos coisas que as pessoas que estão à nossa volta não nos conseguem dizer».
O que move estes jovens? Porque se sacrificam tanto, passando noites inteiras sem dormir, ao frio e à chuva para escutarem um cantor, que esperam que lhes diga algo que desejam ouvir, porque as pessoas que estão consigo todos os dias já não conseguem lhes dizer, só servirão então para lhes dar comida, casa, roupa lavada e dinheiro para andarem na vida que tanto gostam, em diversão e mais diversão sem sentirem a responsabilidade de darem nenhum contributo para a família que os pariu e para a sociedade que os acolhe? – Inquietante e deve levar-nos a todos a tomarmos a reflexão sobre este assunto muito a sério…
Os pais dos jovens atuais estão mesmo de facto a dormir e não parecem despertar para este estado de coisas terrível que ameaça o futuro dos mais novos. Não é triste saber que 84% dos jovens consome drogas para se divertir? – Quais serão as diversões que nos querem falar? Ou ainda, onde está esse divertimento tão bom e tão elevado que necessita de intoxicação para acontecer? – Há nisto tudo algo que não bate certo ou então estamos todos fora do mundo e da realidade.
Há entre os nossos jovens um desencanto tal acerca da vida, que até mete dó. Não surpreende, que as noitadas constantes a embebedar-se, a drogar-se e a prostituir-se sejam regra semanal. A dimensão espiritual radica na idolatria de pessoas que se destacam em qualquer área da vida e não havendo pessoas para tal fixa a escuta nas coisas e em formas banais de viver só porque sim, isso ajuda a «curtir». Eis então a crise a quanto obrigas...
As formas e as expressões que se utilizam para qualificar ou desqualificar a existência, são de uma barbaridade que até dói os nossos ouvidos quando as escutamos. O que conta para uma grande parte dos jovens, é única e exclusivamente «aproveitar a vida» ou «gozar a vida». Logo a seguir, com uma ingenuidade premeditada, atrevemo-nos a perguntar o que significa tal coisa. Respondem com o maior desassombro que quer dizer, saborear exaustivamente todos os prazeres que a vida tem. Isto é, comer, beber e fazer sexo.
Mas que mundo é este, que estamos a construir? – Os valores não têm lugar nenhum na reflexão que ainda tentamos fazer. Não há predisposição absolutamente nenhuma para discutir ou refletir sobre a dignidade, sobre o amor, sobre a paz ou sobre a harmonia das relações humanas.
Nunca como hoje se percebeu realmente como se tornou difícil comunicar o verdadeiro sentido da vida. Porque, até mesmo isso que noutros tempos seria elementar para a realização humana, hoje, tornou-se manifestação de «caretas» e teimosia de gente que é retrógrada.
A banalidade da vida é um sinal dos tempos que urge combater com todas as nossas energias. A distinção entre nascer, viver e morrer está cada vez mais ténue. Ou seja, são cada vez menos aqueles que distinguem as diversas etapas da vida como momentos essenciais para a felicidade. E a predisposição para aceitar aprender como se integram essas etapas na beleza que é viver, é também um horizonte cada vez mais distante. 
Do Blogue Banquete de Palavra"
mas tive que partilhar...
preocupa-me a triste situação.
Alguma mora entre nós, e aflige-me...  
publicado por emcontratempo às 15:46

12
Mar 13

 

 

"Conclave: o que é, como começa e termina

Conclave: palavra com origem no latim cum clavis (fechado à chave).

O próximo tem início nesta terça-feira e irá eleger o sucessor de Bento XVI, o primeiro papa a renunciar em 600 anos."

 

ver www.publico.ptda net

Senhor, ficamos em espetativa...

O Espírito do Senhor

paira sobre todos nós...

 

O Espírito do Senhor

iluminará o seu povo

para a escolha mais adequada...

 

Esta é a minha Fé,

esta é a nossa Fé.

É a Fé da Igreja...

 

Senhor!

Nós sabemos!

Nós acreditamos!

Tu, Senhor, nunca nos abandonas!

 

Abençoa Senhor, estes momentos cruciais,

na história... do Teu Povo.

e profunda petição.

Senhor, nós cremos em Vós!

By peregrina

publicado por emcontratempo às 14:20

08
Mar 13

 

 

 www.antigamente1900.blogspot.com 

Podem ver muitas mais neste blog bastante interessante, pelo precioso histórico que guarda.

publicado por emcontratempo às 15:33
tags:

Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
15
16

18
19
20
22
23

24
25
26
27
28
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO