O desafio dos nossos dias...

14
Jan 11

 

 "

Caminhaste, pequeno jornaleiro;

nas ruas da cidade, em diurna lida,

apregoando jornais o dia inteiro.

 

Já sentes a garganta ressiquida

de gritar... aquebranta-te o cansaço...

Assim é que labutas pela vida...

 

Alguns jornais ainda tens no braço...

Porém é tarde já. Tremulamente

estrelas vão surgindo além no espaço.

 

Anseias por descanso. A noite é quente.

E então, desembrulhando o teu jantar,

um pão negro, o mastigas lentamente.

 

Sentado na calçada a meditar...

depois tiras do bolso o teu dinheiro,

e te pões a contá-lo e a calcular.

 

Com quanto vais ficar no mealheiro...

sonhas fazer fortuna ainda um dia,

morar em casa rica, ser banqueiro.

 

E, asas ligeiras dando à fantasia,

vês no teu palacete do futuro,

uma cama luxuosa e bem macia.

 

Num quarto mobilado com apuro...

não mais vender jornais, nem ao relento,

dormir sobre a calçada, em leito duro...

 

E comtemplas, absorto, o firmamento,

Onde pareces ver a sedutora

imagem que criou teu pensamento...

 

Que as asas da fortuna benfeitora

possam trazer-te, em mágica mudança,

tudo isso por que anseias tanto agora!

 

Porém, se este teu sonho de esperança

se converter um dia em realidade,

hás-de lembrar os tempos de criança...

 

E, quem sabe? Terás talvez saudade!..."

 

Maria Nunes de Andrade (bras.)

(copiados de um antigo almanaque

chamado "Almanaque de Santo António"

que me deram, já muito velhinho

 e do qual copiei algumas coisas interressantes)

publicado por emcontratempo às 10:34

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
15

16
22

23
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO