O desafio dos nossos dias...

09
Out 12

 

 

Quando fora do teu leito,

me sentindo estrangeira,

como é bom, como me deleito,

como arde o coração em meu peito,

ouvir entre os transeuntes, em jeito

de voz soando a conhecida,

oh como é bom, Pátria amiga.

 

Ao seguirmos nas ruas, vielas, prenhas

de gente balbuciando, se solta um grito,

um eih, olá, não me conheces, sou do Pico!

E, aí o coração palpita, em alegria tamanha,

ao soar a linguagem, que o ouvido não estranha.

 

Oh saudosa terra amada, pequeno torrão natal,

mesmo longe, estás gravada, guardada,

em pequenino lugar, para sempre acalentada,

no peito se me bate o coração,

minha doce terra amada, cantinho de Portugal.

peregrina

publicado por emcontratempo às 09:42

Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11

14
16
17
19
20

21
23
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO