O desafio dos nossos dias...

26
Set 19
 
 
Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
Sol doira
Sem literatura
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como o tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quanto há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,

Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

Mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...


Fernando Pessoa
publicado por emcontratempo às 16:11

29
Abr 12

 

"A comundade internacional deve fazer face a quatro desafios:

 

o desafio da vida,

o desafio do pão,

o desafio da paz

e o da liberdade."

(João Paulo II)

publicado por emcontratempo às 22:38

23
Fev 12

 

"Aqueles que estão prontos a renunciar a uma liberdade essencial para conseguir assim uma pequena segurança temporária, não merecem nem a liberdade, nem a segurança."

Benjamin Franklin

publicado por emcontratempo às 14:52

05
Abr 11

 

Entenda-se liberdade e não libertinagem

 

"Não há esforço infecundo quando se luta por ser livre."

desconheço o autor

publicado por emcontratempo às 12:05

16
Mar 11

 

"A paz deve realizar-se na Justiça, construir-se na Verdade, fazer-se na Liberdade, alimentar-se e consumar-se no Amor."

publicado por emcontratempo às 10:16

04
Ago 10

 

da net

" O Evangelho de Cristo anuncia e proclama a liberdade dos filhos de Deus e rejeita toda a escravidão."

G. et Spes

publicado por emcontratempo às 10:28

25
Abr 10

Capitães de Abril

 

(imagem da net) 

 

GRÂNDOLA VILA MORENA

 

 

Zeca Afonso

 

 

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

 

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

 

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

 

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

 

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade.

 

Liberdade
Sérgio Godinho

 

 

Canções de Sérgio Godinho
Assírio e Alvim

Viemos com o peso do passado e da semente
esperar tantos anos torna tudo mais urgente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente

Vivemos tantos anos a falar pela calada
só se pode querer tudo quanto não se teve nada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada

Só há liberdade a sério quando houver
a paz o pão
habitação
saúde educação
só há liberdade a sério quando houver
liberdade de mudar e decidir
quando pertencer ao povo o que o povo produzir.

 

e tantas outras canções, ferrolhadas em gavetas na prisão das vozes, sofridas e caladas...

 

publicado por emcontratempo às 23:26

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO