O desafio dos nossos dias...

28
Dez 11

 

 

"Mulheres atarefadas
Tratam do bacalhau,
Do peru, das rabanadas.

- Não esqueças o colorau,
O azeite e o bolo-rei!

- Está bem, eu sei!

- E as garrafas de vinho?

- Já vão a caminho!

- Oh mãe, estou pr'a ver
Que prendas vou ter.
Que prendas terei?

- Não sei, não sei...

Num qualquer lado,
Esquecido, abandonado,
O Deus-Menino
Murmura baixinho:

- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família
À volta da mesa.
Não há sinal da cruz,
Nem oração ou reza.
Tilintam copos e talheres.
Crianças, homens e mulheres
Em eufórico ambiente.
Lá fora tão frio,
Cá dentro tão quente!

Algures esquecido,
Ouve-se Jesus dorido:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,
Admiram-se as prendas,
Aumentam os barulhos
Com mais oferendas.
Amontoam-se sacos e papeis
Sem regras nem leis.


E Cristo Menino
A fazer beicinho:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?"

 

Poema tirado da net

 

 

publicado por emcontratempo às 17:43

27
Dez 10

 

poema do meu livro da 1a. Classe
.......................

A noite é de neve, fria,
brilham mais as estrelinhas,
mas já pelos céus descia
o Deus-Menino e sorria
a todas as criancinhas.

.......................

Menino Jesus, contente,
vai descer às chaminés.
E caminha docemente,
ninguém o vê, nem pressente,
dormem todos os bébés.

.......................

Que lindas coisas doiradas,
que presentes tão bonitos,
que nem os sonham as fadas!
Abre as mãozinhas nevadas
e dá tudo aos pequenitos

.......................

Não cabem nos sapatinhos
os brinquedos, óh Jesus!
São pequenos os pézinhos
Mas deixa bolas, carrinhos,
tudo o que é lindo e reluz!

........................

Amanhã, de manhãzinha
que alegres risos, contentes!
irá cada criancinha,
correndo ansiosa, à cozinha,
buscar os lindos presentes. 
publicado por emcontratempo às 11:56

25
Dez 10

 

 

"Mulheres atarefadas
Tratam do bacalhau,
Do peru, das rabanadas.

-- Não esqueças o colorau,
O azeite e o bolo-rei!

- Está bem, eu sei!

- E as garrafas de vinho?

- Já vão a caminho!

- Oh mãe, estou pr'a ver
Que prendas vou ter.
Que prendas terei?

- Não sei, não sei...

Num qualquer lado,
Esquecido, abandonado,
O Deus-Menino
Murmura baixinho:

- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Senta-se a família
À volta da mesa.
Não há sinal da cruz,
Nem oração ou reza.
Tilintam copos e talheres.
Crianças, homens e mulheres
Em eufórico ambiente.
Lá fora tão frio,
Cá dentro tão quente!

Algures esquecido,
Ouve-se Jesus dorido:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?

Rasgam-se embrulhos,
Admiram-se as prendas,
Aumentam os barulhos
Com mais oferendas.
Amontoam-se sacos e papeis
Sem regras nem leis.


E Cristo Menino
A fazer beicinho:
- Então e Eu,
Toda a gente Me esqueceu?"

 

Poema tirado da net

publicado por emcontratempo às 20:38

22
Jun 10

 

"Cada dia chega trazendo seus próprios
presentes.

Desamarre as fitas."

publicado por emcontratempo às 10:45

16
Jun 10

 

"O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que o chamam de presente"

publicado por emcontratempo às 14:43

23
Fev 10

 

"O Ontem é história

O Amanhã, um mistério

O Hoje, uma dádiva

por isso é chamado Presente."

publicado por emcontratempo às 12:21

06
Jan 10

 

 

Navego na minha infância.

Encontro recordações que me alegram.

Fico cheia de saudades.

Naquele tempo em que havia "Menino Jesus".

Havia São Nicolau.

Eu, apenas o conhecia dos postais.

Pois vinham postais das Américas.

Não conhecia o Pai Natal.

Nas minhas paragens era o S. Nicolau.

Este transportava os brinquedos.

Lá nos países distantes, de trenó.

Era esta a nossa percepção.

Aqui, entre nós, era o Menino Jesus que dava.

Ele vinha pô-las debaixo da almofada durante a noite.

A pobre mãe,  entrava no quarto e...

lá as colocava .

De manhã cedinho e...

mal acordávamos, lá estava a prendinha.

Estonteadas de sono,

pegava muito bem,

o Menino Jesus, havia deixado.

Vejam só!

Que difereeeeeeença!!!

Dormíamos felizes!

Não havia stresses!

Havia sim, muiiiiita paz!

Como tudo mudou!

Não havia preocupação em esconder.

Era tudo coisa pouca.

Em qualquer lugar se desviava dos olhares.

Ficávamos indiferentes à realidade.

Só mais tarde, pude compreender.

Porque tantos tinham presentes maiores que o meu.

O meu, sim.

Porque era só um.

Aí aceitei muito bem.

Percebi que mesmo assim, era bom.

Era sempre o Menino que dava dinheiro,

para que comprassem as prendas.

Como dizia no início, dá-me saudades.

Não da miséria, mas do valor que se dava às coisas.

Da paz e segurança que se sentia.

Das visitas familiares, sem bombons a abarrotar.

Mas de gostosos rebuçados caseiros,

embrulhados em papel de seda.

E...

ao sabor desta doçura,

acordo desta viagem ao passado e...

sinceramente...

dá-me saudades, muiiitas saudades.

Hoje neste abrupto calcorrear do dia a dia...

hoje nesta lufa lufa do ter...

toda a gente?!

muita gente?!

pouca gente?!

não sei...

sentirão o mesmo?!!!

manomero 2010 01 06

publicado por emcontratempo às 16:49

 

 

Vieram os três reis Magos

de longes terras distantes.

Por uma Estrela guiados,

pela sua luz brilhante.

Ela guiou-os ao Menino,

ao Nosso Deus de Verdade.

No presépio pequenino,

nasce o Rei da Humanidade.

 

E eis que trazem presentes,

ouro, mirra e incenso,

vem eles ofertar.

O Deus Menino pressente

sua humildade e bom senso

e meigamente sorri

aos três Reis do Oriente

Baltazar, Belchior e Gaspar.

 

Manomero 2010 01 06

publicado por emcontratempo às 13:07

24
Dez 09

 

 

Na noite de Natal.......

 

Na noite da consoada!....

 

Na noite das prendas do Menino Jesus......

 

Na noite em que o São Nicolau (Pai Natal) transporta as prendas.......

 

Na noite da Missa do Galo......

 

Na noite Santa.......

 

Nesta noite.....

 

O mundo crente celebra o Deus que veio.

 

Acolhe o Deus que vem a cada um de nós pela Fé e pela Eucaristia...

 

e espera o Deus que virá no fim dos tempos.

 

Nesta noite a alegria vence, a felicidade jorra, aqui e aí.....

 

E além, e cá perto, e ao nosso lado e dentro de nós, O Menino do Natal vai nascer?!

 

Nesta noite, onde o  mundo embrulha tanta hipócrisia, em fitas douradas, que o Menino, rasgue as folhas do papel que nos impede de festejá-Lo com o coração ávido do Amor, Paz e Serenidade que transpiram em cada presépio. 

 

Nesta Santa Noite, nasce Deus!!!!

 

Boas Festas a Todos vós que vindes visitar-me e votos de um Ano Novo cheio das bençãos do Deus Menino!  

 

 

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

  

 

"Na noite de Belém, o Redentor do mundo fez-se um de nós para ser nosso companheiro nos caminhos da história."

(Bento XVI)

 

publicado por emcontratempo às 22:20

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO