O desafio dos nossos dias...

11
Abr 11

 

 

O Ensino,

A Família,

O Professor,

O Aluno.

 

Quatro figuras importantes para que exista o Estudante.

Quatro pontos nevrálgicos que não podem existir uns sem os outros.

Têm que cooperar.

É que há uns que preferem viver cómodamente apáticos nos seus sobretudos bem quentes e não esquecendo da última passerele, isto é que é sinal de cultura e inteligência, o que se pode parecer cá por fora.

Infelizmente a realidade é outra, desfazada de valores morais e, ou pelo menos éticos.

E a solução não está só nos programas pedagógicos, tem de vir de um núcleo fundamental da sociedade, hoje e por razões várias muito fragilizado e que não se deixe influenciar por outros tantos que por vezes só dificultam, mesmo sendo formados em pedagogias...

Resultados positivos pretendem-se, então, todos temos que fazer algo de proveitoso, no nosso papel sumamente importante de responsáveis pelos homens e mulheres de amanhã.

 

Se bons ou maus, fomos nós que educámos!

 

É ou não verdade?!

 

Uma verdade que também me é dificil aceitar!

publicado por emcontratempo às 15:42

25
Dez 09

 

Se fosses viva fazias hoje anos.

Eras da idade do meu pai.

Farias 84 anos.

Sei que estás comemorando.

Para mim, estás lá, junto de tantos.

Lá nos céus.

Bem hajas!!!

 

*********************************

 

Há que anos já partiste.

Sim, tu, Professora Mariazinha.

Pelo respeito que impunhas,

olha acredita, às vezes tinha medo.

Mas, os anos foram passando,

e a pouco e pouco fui percebendo,

o quanto nos querias bem.

Cada vez que nos chamavas a atenção,

cada vez que nos ensinavas, para além,

do estabelecido nos manuais.

Era todo um conjunto de conhecimentos,

para nos preparares a vida.

 

Tínhamos um "tempo" (1) num dia da semana

que era para aprender costura e bordados.

Às vezes eras rigorosa.

Na altura achava que eras exigente.

Como compreendo, hoje, a tua pedagogia.

Ensinar regras de Higiéne e Saúde.

Sempre foi o teu lema, educar na íntegra.

 

Obrigavas-nos a trazer sempre um guardanapo.

Nele colocávamos metade de um pão.

Ia para a escola um saco de pão.

Esse pão era distribuído.

Alguns recebiam, outros não.

Mesmo às metades, não chegava para todos.

Havia quem te criticásse, desses há-os sempre.

Olha esse pão, foi para mim, massa sovada.

Pois a verdadeira só era comida pelas festas.

 

Ensinavas de tudo, o que sabias.

Chegámos a fazer "comida".

Comer todas juntas na escola?...

....

Ias connosco várias vezes dar algum passeio.

Lembro-me de ires connosco, a pé.

Fomos à Quinta das Rosas, várias vezes.

Recordo-me de ires pedir licença a um pai,

(volvidos uns bons anos veio a ser meu sogro)

para entrarmos num prédio dele.

Fomos ver uma capelinha, feita à Senhora.

Havia sido feita pela filha dele.

Era a filha mais velha, a Maria Amélia.

Ela era muito inteligente, muito devota.

Acho que foi uma santa.

Ainda andava na escola, quando ela faleceu.

 

Lembro-me ainda de irmos para a tua casa.

Em tempo próximo das provas de passagem.

Principalmente em tempo de exame.

Tínhamos que ser bem preparadas.

Gostavas que as tuas alunas brilhassem nas provas.

Fazíamos exercícios de Aritmética, Português, ...

 

Tivémos oportunidade de te ver ensinar, o Nequinhas.

O teu sobrinho que era surdo-mudo.

Que grande saber, que persistência e pedagogia.

Grande docente.

Rica de capacidades para o tempo, e para hoje.

 

Para além disso, ainda foste catequista.

Foste a minha catequista da 1ª Perseverança, (5ª.Classe hoje).

 

A ti recorriam, muitas pessoas, a desabafar.

Limitavas-te a escutar e aconselhar.

Entretanto, mantinhas-nos dístraídas com algo ou no recreio.

 

Eras tudo isto, e muito, muito mais.

 

Para além dos meus pais,

foste quem me ensinou as primeiras letras.

Pegaste na minha mão,

para moldar as formas do a, e, i, o, u.

Formas que hoje me fazem dedicar-te isto.

É o meu gesto de agradecimento

e de profunda saudade.

Para ti, pela lucidez com que nos ensinavas,

pelo brilho que punhas em formar sempre bem,

pelo incentivo que sempre me deste,

querias que eu fosse estudar, e fui,

só que não cheguei onde gostava e tu querias,

pedradas que a vida nos dá.

Pela dedicação que punhas à causa do ensino,

em invernosos tempos,

onde só ia estudar quem era rico,

quem tinha alguns haveres.

A tua personalidade e verticalidade,

foi de longe um grande exemplo,

foi luz para muitos e a muitos níveis.

Creio que um dia nos voltaremos a ver.

Há anos, morreu uma estrela!!!

Mas, ficou a sua marca.

É uma recompensa ter vivido para muitos,

ter-se dado para outros tantos,

e principalmente ter nascido e vivido,

não existindo apenas, mas construindo pontes

contínuas entre o ser e o ter.

Bem hajas!

Hoje muito particularmente,

recordo-te com saudade.

________________________________________________

 

1 - As actividades do dia escolar eram divididas em 5 tempos:

1º. tempo - Cópia ou Ditado conforme o dia.

2º. tempo - aritmética

3º. tempo - palavras

4º. tempo - ditado

5º. tempo - desenho 

publicado por emcontratempo às 18:56

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO