O desafio dos nossos dias...

15
Mai 12

 

 

http://proreferendovida.blogspot.com

publicado por emcontratempo às 14:20
tags:

26
Fev 12

 

 

  

da net 

" Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro se esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem o presente, nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido."


Não desista: esfole-se a trabalhar!
MILHARES DE PESSOAS que vivem do Rendimento Social de Inserção, sem trabalho e sem vontade, sem pagar IRS, IRC ou descontar para a Segurança Social, sem aturar chefes e patrões, sem horas de levantar... DEPENDEM DE SI!

enviaram -me por mail

publicado por emcontratempo às 16:06

19
Dez 09

 

Soneto que encontrei num almanaque antigo que a sra. Leonorzinha Cristiano me deu, há anos...

Fala-nos de luz.

Nós nesta quadra, estamos preparando a vinda da LUZ, a Luz que o Pai nos deu, a Luz da nossa vida , a Luz que dá Luz, a Luz da visão da luz.

A LUZ da LUZ!!!!

 

"Luz Bendita

 

(Soneto que obteve o 3º. prémio nos jogos Florais do Atneu Comercial do Funchal em 1946)

 

Para ti pequenina e querida Raquel

 

O céu abriu o manto das estrelas,

olhos de oiro no vasto azul astral...

E nessa noite fulva, musical,

meu sonho desprendeu-se e foi-se com elas.

 

Eram meus braços duas sentinelas,

erguidas na magia sideral...

Orava o meu silêncio original,

à luz tremeluzente das estrelas.

 

Senhor! Que tendes tanta luz distante,

dai um farol ao meu amor errante

que seja luz doirada e maravilha!

 

E Deus ouviu a prece e prometeu...

e não tardou um anjo que acendeu,

luz de estrelas no olhar da minha Filha!

 

Funchal , 12-10-1945

Rogério Oscar Correia

(in Trevo do Vale)

 

"Semana do Livro Açoriano”, realizada no Funchal, constituiu uma afirmação do valor intelectual das nossas ilhas. Rogério Óscar Correia, distinto poeta madeirense, mostrou-se satisfeito com o êxito que coroou a sua feliz iniciativa de realizar, no Funchal, por ocasião das Festas de Fim-de-Ano, “A Semana do Livro Açoriano”. Com a colaboração de Maria Mendonça, Dr. José Jacinto Pereira da Câmara e J. Silva Júnior, Rogério Correia conseguiu que o certame de elevado sentido intelectual e de intercâmbio insular, tivesse a presença das principais entidades oficiais e literárias das “Ilhas de Zarco”, além do interesse de numeroso público que acorreu.
Em anúncio publicado na Imprensa, o próprio Rogério Óscar Correia manifestou a gratidão pela colaboração prestada a esta iniciativa, destacando Maria Mendonça, Pereira da Câmara e J. Silva Júnior.
O “Açoriano Oriental”, de 26 de Janeiro de 1952, diz-nos que atingiu significativo êxito a iniciativa do poeta madeirense Rogério Correia, que reuniu algumas centenas de exemplares de livros açorianos, numa das salas da Academia de Música do Funchal, em cujas paredes se viam fotografias de S. Miguel e uma do Senhor Santo Cristo. No discurso que pronunciou na sessão solene de abertura, aquele inspirado poeta destacou, em reconhecimento, a valiosa colaboração de Maria Mendonça, José Jacinto Pereira da Câmara e J. Silva Júnior."

in jornal "Açoriano Oriental"

publicado por emcontratempo às 12:12

11
Dez 09

 

"Olhas p'ró céu e queres voar, não é?!

Fugir dos problemas, das realidades...

Sabes, a vida é curta, não há tempo a perder.

Por isso pensa com firmeza.

Age com o coração!

Sonha!

Não ligues aos imbecis;

não sabem o que fazem.

Não ligues às bocas,

são dor de cotovelo por seres quem és.

Não tenhas medo de te afirmar,

de fazeres o que te apetece, o que te fizer feliz.

Rir, chorar...

pois um dia podes arrepender-te de não o teres feito quando devias...

Arrisca!

Lembra-te: Tu és tu."

(de uma mensagem de msn)

 

Força aí, amiga!

publicado por emcontratempo às 18:21
tags: ,

18
Out 09

 

in www.ocruzadomissioário.blogspot.com

 

 Ao grande Santo do nosso tempo, peço encarecidamente:

Santo Padre João Paulo II, amante que foste da vida em toda a sua plenitude, desde o seu início até ao fim, pedi a Jesus pelo nosso Mundo, cegamente obstinado e alienado dos verdadeiros valores humanos e cristãos.

Santo Padre, rogai por nós!!! 

manomero29

publicado por emcontratempo às 01:47
tags: , ,

03
Set 09

 

 

    Aos que fizeram poema

    de enxada e pique

    na mão,

    o grande livro das suas vidas,

    folheado pelos sóis

    de Verão

    e limado pelos frios

    invernosos,

    a esses, honro,

    toda a coragem,

    força e labor,

    pois fui embalada,

    acarinhada e mimada,

    nesse poema

    de suor e de amor.

 

    Tantos livros

    foram escritos!

    na lava,

    há trilhos marcados!

    Currais e maroiços,

    são gritos,

    por mãos e piques

    moldados,

    entre dias infinitos,

    entre fome,

    bolsas vazias

    de pão

    e figos passados.

 

    ... seus autores,

    convictos selaram

    um testamento.

    Estes documentos

    gravaram,

    estes registos

    para sempre,

    ficarão na Ilha,

    na pedra e nos trilhos

    do intelecto,

    da nooooossa Gente!

 

    manomero29 Setembro2008

publicado por emcontratempo às 15:16

02
Out 08

 

É realmente uma figura marcante na comunidade desta nossa aldeia, (a Constância, Benevolência?, ou ... como vos aprover chamar), pois nem é isso que interessa, até porque os nomes adjectivados geralmente são dados pelo interesse que possa dar a quem lhos põe, se essas pessoas possam influenciar no bom sucesso da vida destas.

 

Como não é o caso, chamem-lhe o que entenderem estar mais de acordo com a sua vida.

 

Amada por uns, admirada por outros e, ignorada ou até mesmo invejada por alguns, ela continua a sua "luta", com um "modus vivendi" normal, à primeira impressão, mas ...

 

 ...a maneira de ser, de personalidade forte, essa sim, torna-a diferente das muitas pessoas do seu vulgar convívio.

 

Um tanto ou quanto envergonhada e tímida, faz com que não lhe conheçam os pensamentos, esbugalhados através do seu olhar fixo e penetrante, como que a querer entrar na alma de quem a vê e desabar todos os seus problemas, todos os seus anseios e todas as suas agruras da vida, mas ...

 

... esse alguém não existe - diz ela acentuadas vezes.

 

então, por vezes fecha-se, na crosta dos seus anos e ...

 

 acomoda-se tristemente no seu rosto, tostado de alguns sóis.

 

É assim a Constância ( prefiro chamar-lhe assim agora),

 

porque apesar de tudo, ainda continua a caminhar em frente, muitas vezes com olhares  cansados e pálidos de alguma desilusão, mas ...

 

 não se descoze ... vai em frente e ...

 

... mesmo sabendo que são muito raros os/as bons amigos,

 solectamente vai procurando encontrá-los,

 

admite existirem poucos pois...

 

e se, a vida está tão cheia de nadas e tão vazia de tudo que o tempo, não tem tempo de dar algum tempo, ao tempo de alguém.

 

O que estarão a pensar agora, aqueles que lerem esta tradução?

 

Será que o tradutor conseguiu o seu objectivo?

 

Concerteza que quem não foi e não é como a Constância: sonhador, firme, trabalhador, honesto, amigo, confidente, passará indiferente por tudo isto.

 

Outros conseguirão ver-se ao espelho, pois muito daquilo lhes é familiar, faz parte do seu ego, trabalham constantemente com estas "figuras" até as levam à missa e tudo ...

 

... é pois uma grande realidade

é o nosso modo de viver o dia a dia,

uns escolherão uma ou mais figuras que habitam o ser e o espírito de Constância, outros outras, e ... e até outros nenhumas, pois é ...

 

 ... está escrito no rosto e no corpo, apenas tentei traduzir, afinal...

... é assim, e ponto final!

by peregrina

publicado por emcontratempo às 23:41

Setembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO